Notícias

Líderes do Leste Asiático se reunirão em meio aos planos de lançamento de satélite da Coreia do Norte

O presidente sul-coreano, o primeiro-ministro chinês e o primeiro-ministro japonês se reunirão na segunda-feira para conversações.

Seul:

Os líderes sul-coreanos, chineses e japoneses deveriam reunir-se em Seul na segunda-feira para a sua primeira cimeira trilateral em quase cinco anos, depois de o Norte, com armas nucleares, ter anunciado planos para colocar outro satélite em órbita.

Há poucas expectativas de quaisquer grandes avanços na reunião, mas os líderes expressaram esperança de que isso possa ajudar a revitalizar a diplomacia tripartida e a aliviar as tensões regionais.

O presidente sul-coreano, Yoon Suk Yeol, o primeiro-ministro chinês, Li Qiang, e o primeiro-ministro japonês, Fumio Kishida, reunir-se-ão na segunda-feira para conversações, sendo que o anúncio de Pyongyang de que lançará um satélite até 4 de junho provavelmente entrará na agenda.

A Coreia do Norte informou a Guarda Costeira Japonesa sobre uma janela de lançamento de oito dias, que começou à meia-noite de domingo até segunda-feira.

Designou três zonas marítimas de perigo perto da península coreana e da principal ilha das Filipinas, Luzon, onde os destroços do foguete que transporta o satélite podem cair, segundo a agência de notícias Kyodo.

A Coreia do Norte está impedida, por diversas resoluções da ONU, de realizar testes que utilizem tecnologia balística.

Analistas dizem que existe uma sobreposição tecnológica significativa entre as capacidades de lançamento espacial e o desenvolvimento de mísseis balísticos.

Após a cimeira de líderes, Yoon, Li e Kishida darão uma conferência de imprensa, antes de participarem numa cimeira empresarial que visa impulsionar o comércio entre os países, que também contará com a presença de líderes empresariais de topo.

Especialistas alertaram que, devido às posições fortemente divergentes dos três países sobre questões-chave, incluindo as ameaças nucleares de Pyongyang e os laços crescentes com a Rússia, será difícil para eles chegarem a um consenso.

“Apesar dos desafios na organização desta reunião, é pouco provável que produza conquistas diplomáticas significativas”, afirmou o jornal sul-coreano Hankyoreh num editorial na segunda-feira.

“No entanto, esta reunião é importante porque é o único canal de comunicação regular onde os líderes da Coreia do Sul e do Japão, ambos aliados dos Estados Unidos, podem encontrar-se com o líder chinês”, afirmou.

Seul deveria aproveitar a reunião trilateral “para superar as limitações da diplomacia inclinada com Washington e Tóquio e reconstruir a estrutura da diplomacia trilateral da Coreia do Sul, China e Japão, que está em desuso há algum tempo”, disse Hankyoreh.

O presidente Xi Jinping é o principal líder da China, com Li servindo sob ele como primeiro-ministro.

A China é o maior parceiro comercial da Coreia do Norte e um importante aliado diplomático, e anteriormente resistiu a condenar Pyongyang pelos seus testes de armas, criticando em vez disso os exercícios conjuntos EUA-Coreia do Sul por aumentarem a tensão.

A Coreia do Norte, com armas nucleares, lançou o seu primeiro satélite de reconhecimento em Novembro passado, num movimento que atraiu condenação internacional, com os Estados Unidos a considerarem-no uma “violação descarada” das sanções da ONU.

Seul disse na sexta-feira que as autoridades de inteligência sul-coreanas e norte-americanas estavam “monitorando e rastreando de perto” os supostos preparativos para o lançamento de outro satélite de reconhecimento militar.

(Exceto a manchete, esta história não foi editada pela equipe da NDTV e é publicada a partir de um feed distribuído.)

Source

Related Articles

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Back to top button